Cronologia

Bem-vindo a bordo...
Ao longo de mais de 70 anos, a TAP tem sido pioneira a ligar Portugal ao mundo e os continentes entre si. Nascemos num país de exploradores; crescemos, mudámos, acompanhámos as inovações da aviação, estivemos presentes em grandes momentos da história. Embarque connosco nesta viagem ao passado!
Um país pronto a levantar voo
A TAP nasce em 1945. Estamos no fim da II Guerra Mundial, que impulsionou o desenvolvimento da aviação. A seguir, chegam o baby-boom, o entretenimento e o consumo de massas. A Portugal falta ainda uma ligação ao mundo.
1945 – Nasce uma companhia aérea
A 14 de março de 1945, é criada a TAP - ou melhor, a Secção de Transportes Aéreos, sob a alçada do Secretariado da Aeronáutica Civil. O diretor à data, Humberto Delgado, é o mentor da fundação. Neste ano, chegam os primeiros aviões: dois Dakota DC-3, aparelhos militares adaptados à aviação civil.
1945 – O primeiro logótipo
É com esta imagem que a TAP levanta voo no mundo da aviação.
1946 – Primeira paragem: Madrid
A inauguração da primeira linha comercial, entre Lisboa e a capital espanhola, foi um acontecimento nacional. A 19 de setembro de 1946, os Dakota DC-3, com capacidade para 21 passageiros, entram ao serviço. A bordo seguiam 11 passageiros além da tripulação.
1946 – A "Linha Aérea Imperial"
A 31 de dezembro é inaugurada a "Linha Aérea Imperial", que serve a rota Lisboa-Luanda-Lourenço Marques. Com 24,540 quilómetros e 15 dias de duração (ida e volta), faz 12 escalas entre Lisboa e Lourenço Marques e torna-se a rota mais extensa do mundo a ser operada com o Dakota DC-3. As condições climatéricas exigem uma indumentária especial: o uniforme tropical, com saias, calções e camisas em sarja caqui.
1947 – O segundo logótipo
Em 1947, é adotada uma nova imagem.
1947 – A primeira ligação doméstica
É lançada a linha entre Lisboa e Porto. Da tripulação fazem parte o Comandante Durval e o co-piloto Noronha; entre o pessoal de cabine, Sá Pinto e Marcela.
1948 – O crescimento traz mudanças
São inauguradas novas rotas para Sevilha e Paris. Com a entrada na IATA (International Air Transport Association) e a diversificação de rotas, é adotada uma nova imagem e são lançados cartazes publicitários com motivos alusivos aos destinos operados.
1949 – Londres à vista
A fechar a década, a TAP passa a voar também para a capital do Reino Unido. O voo é operado pelo DC-4 Skymaster.
Primeiros recordes e conquistas além-mar
A TAP cresce e acompanha marcos históricos do país, como a inauguração da RTP ou do Metropolitano de Lisboa. Mas vamos muito além de Portugal e da Europa: lançamos rotas em África e aventuramo-nos pela primeira vez até ao outro lado do Atlântico!
1952 – A era do jato
A British Overseas Airways Corporation (BOAC) abre o primeiro serviço regular de aviões a jato, voando cerca de 11 mil quilómetros entre Londres e Joanesburgo em menos de 24 horas - encurtando a viagem, até aqui realizada por aviões a hélice, para metade do tempo. Ainda neste ano, inicia-se a produção do Boeing 707.
1953 – O terceiro logótipo
É adotada uma nova imagem. Este logótipo irá representar a TAP até 1979.
1953 – Aterrar em Marrocos
Acontece neste ano o primeiro processo de "privatização" da TAP, que passa de um serviço público a uma sociedade anónima de responsabilidade limitada (SARL). São também inaugurados dois novos destinos de peso: Casablanca e Tânger.
1955 – A chegada do Lockheed
É adquirido o 1.º quadrimotor de longo curso para operar a linha de África: o Lockheed L-1049G Super Constellation. Aeronave impulsionada por quatro motores fixos nas asas, o Lockheed permitiu reduzir substancialmente o tempo de voo de Lisboa até Lourenço Marques.
1955 – A travessia do Atlântico
Realiza-se neste ano o primeiro voo experimental da TAP ao Rio de Janeiro. A bordo do DC-4 Skymaster da viagem ao Brasil, encontra-se um passageiro ilustre: o almirante Gago Coutinho.
1958 – Números redondos
Fechamos a década com altas conquistas: transportámos 64 mil passageiros, completámos 10 mil horas de voo, atingimos os 14 mil quilómetros de rede e ultrapassámos os mil trabalhadores.
Acelerar na era do jato
Entramos nos anos do boom da aviação comercial e da velocidade supersónica. EUA e URSS partem à conquista do espaço. A TAP também cresce com novos destinos, aviões e um aumento exponencial de passageiros.
1961 – Dois países irmãos
Inaugura-se o "Voo da Amizade" entre Lisboa e o Rio de Janeiro, um serviço especial entre Portugal e Brasil, com escala no Sal e em Recife, através de um acordo operacional entre a TAP e as brasileiras Panair (1960-1965) e Varig (1965-67).
1961 – Rumo ao Oriente
Realiza-se o voo inaugural da ligação entre Lisboa e Goa, com uma duração total de 19 horas e cinco escalas intermédias. Um ano antes, despedimo-nos do DC-4 Skymaster: a TAP retirou do serviço a última destas quatro aeronaves.
1962 – O Caravelle VI-R
Em julho de 1962, chega o primeiro dos aviões Caravelle VI-R, com o qual entramos definitivamente na era do jato. Neste mesmo ano, iniciam-se as ligações de Lisboa a Las Palmas e Santa Maria.
1963 – Mais Europa
A TAP consolida a sua presença no Velho Continente com o lançamento de mais rotas: Genebra, Munique e Frankfurt.
1964 – O primeiro milhão
Celebramos em 1964 um marco simbólico: o 1.º milhão de passageiros transportados. É lançada a operação Lisboa-Bissau. Ainda este ano, depois de já voar há três para o Porto Santo, a TAP inaugura a rota do Funchal - o primeiro voo é recebido em ambiente de festa!
1965 – Olá, Boeing
É neste ano que chega à TAP o primeiro modelo da família Boeing: o B707. Começa imediatamente a voar na linha de África. Dois anos depois, será a vez do Boeing 727, com a sua inconfundível "cauda em T", a levantar voo ao serviço da TAP.
Revolução em terra e no ar
Uma década de grandes mudanças. Portugal vive a revolução de 25 de abril de 1974 e a descolonização. A TAP muda de instalações, é nacionalizada e entra num acelerado processo de modernização tecnológica.
1971 – Nova casa, novas rotas
A década começa recheada de novidades. Boston é integrada na linha de Nova Iorque. São lançadas as rotas de Montréal, Ponta Delgada e Terceira. O aviões a jato operam a linha de Lourenço Marques. E, em 1971, a TAP muda as instalações para o Aeroporto de Lisboa!
1972 – Voar mais alto
Entramos numa nova era: em 1972, chega o primeiro dos Boeing 747-200, o mítico avião de grande porte conhecido como "Jumbo". Até ao final da década, a TAP passa a operar com 32 aviões tecnologicamente avançados para mais de 40 destinos em quatro continentes.
1974 – Novo sistema de reservas
Em 1974, mais um passo na transformação tecnológica. Passamos a usar um novo sistema computorizado de reservas, de load-control e check-in: o TAPMATIC. A partir daqui, nada foi como dantes.
1974 – A aposta na manutenção
A década foi também de inovação ao nível da manutenção: fomos a primeira companhia europeia a efetuar grandes revisões completas dos reatores Pratt & Whitney JT9-D dos Boeing 747.
1974 – A nacionalização
1974 termina com novos recordes: mais de 1.5 milhões de passageiros, 68.210 horas voadas, quase 103 mil quilómetros de rede e mais de 9 mil trabalhadores. No ano seguinte, a TAP volta a ser uma empresa pública, seguindo a onda de nacionalizações originada pela Revolução dos Cravos.
1979 – Um 'makeover' completo
É implementado um programa de modernização da empresa. Entre outras coisas, muda o nome da companhia: "Transportes Aéreos Portugueses" dá lugar a "TAP Air Portugal", mais reconhecível a nível internacional. A nova imagem corporativa reflete-se também nos uniformes e na pintura dos aviões.
Uma década de altos e baixos
A TAP aperta o cinto e entra na zona de turbulência que caracterizou os anos 80: as sequelas dos choques petrolíferos, os avanços tecnológicos, a entrada de Portugal na CEE, a queda do muro de Berlim.
1980 – Novos rumos
A década abre com uma nova rota: é lançada a linha Lisboa-Barcelona. Também nesse ano, é prolongada a linha de Milão para Roma.
1981 – A primeira revista de bordo
Em 1981, surge uma nova companhia de bordo para as viagens da TAP. A Revista "Atlantis", antecessora da atual UP, irá estar no ar durante 16 anos.
1981 – A primeira mulher a pilotar
Teresa Carvalho, um nome para a história! Foi a primeira mulher a entrar no quadro de pilotos da TAP, em 1981. Nesta imagem, vemo-la pilotar um avião em 2001.
1983 – A frota cresce
Entram ao serviço os primeiros Boeing 737-200 para o médio curso e os Lockheed L-1011-500 Tristar para o longo curso.
1985 – Tempo para fazer história
Pela primeira vez, a TAP transporta mais de 2 milhões de passageiros em apenas um ano de operação. Entretanto, é inaugurada a nova rota de Porto-Caracas e o museu da TAP abre as portas ao público a 14 de março de 1985, dia do seu 40.º aniversário (na fotografia).
1988 – Tempo para evoluir
A terminar a década, é introduzido um novo sistema automático de cálculo de tarifas e emissão de bilhetes. A TAP torna-se ainda a primeira companhia aérea a estabelecer ligações terra-ar via satélite. E vemos chegar o Airbus à nossa frota: o A310 foi o primeiro a ser integrado.
Entramos na era do Airbus
O fim do século XX fica marcado por grandes inovações tecnológicas, a chegada dos telemóveis e da internet. Portugal torna-se palco do mundo com a EXPO'98. Começa a era do Airbus na TAP, que se associa a vários momentos marcantes.
1991 – Voar mais e melhor
Iniciam-se os voos do Porto para Barcelona e Basileia. No início da década, pela primeira vez a TAP ultrapassa os 3 milhões de passageiros num só ano. A bordo, há uma modernização constante com o objetivo de servir cada vez melhor.
1993 – A renovação da frota
Os anos 90 ainda são marcados pelos jatos Boeing, mas os Airbus começam já a impor o seu domínio. Operando desde 1988 com o A310, a TAP vê chegar o A320-200 em 1993. Nos anos seguintes, será a vez do A340 e do A319, consolidando uma frota de aviões mais económicos e versáteis.
1996 – Descolar na internet
A presença digital da TAP também tem a sua própria história, tendo já completado 20 anos. O nosso primeiro website, lançado no longínquo ano de 1996, foi pioneiro em Portugal. Desde então, temos estado na linha da frente da inovação digital.
1998 – Nobel a bordo
O escritor José Saramago, galardoado em 1998 com o prestigiado Prémio Nobel da Literatura, viaja a bordo da TAP. Desde 2014 que Saramago dá nome a um dos A320 da nossa frota.
1998 – EXPO'98
A TAP é parceira estratégica da EXPO'98, o evento que anima o país no final da década - e decora a preceito um dos aviões da sua frota (B737-300).
1999 – "Voos Azuis"
São introduzidos os chamados "Voos Azuis" (não-fumadores) em todas as linhas da Europa e Atlântico Norte.
Nas asas do século XXI
O virar do milénio traz novos desafios, como os atentados de 11 de setembro de 2001, a crise da aviação e a digitalização. Mas a TAP adapta-se uma vez mais e consolida-se como uma das maiores exportadoras de Portugal.
2000 – Manutenção e engenharia
A unidade de Manutenção e Engenharia da TAP, cujos padrões de qualidade são mundialmente reconhecidos, é certificada pela Autoridade de Aviação Civil Brasileira e pela Federal Aviation Administration norte-americana (FAA). Em 2006, a TAP assumiria o controlo da VEM (Varig Engenharia e Manutenção), maior centro de manutenção da América do Sul.
2004 – Euro 2004
No ano em que Portugal organiza o Campeonato Europeu de Futebol, a TAP associa-se ao evento e homenageia uma das maiores figuras de sempre do desporto: um A319 é batizado com o nome "Eusébio".
2005 – Uma imagem mais moderna
Atingido o número recorde de 6.5 milhões de passageiros, é altura de refrescar a imagem. A "TAP Air Portugal" é agora "TAP Portugal" e o novo logótipo traduz modernidade e portugalidade para o novo século. Ainda neste ano, integramos a prestigiada rede da Star Alliance.
2005 – Programa Victoria
Nasce o novo programa de passageiro frequente, o Programa Victoria, que oferece vantagens únicas pelas milhas acumuladas. Logo após o primeiro ano de vida, o Victoria é considerado o melhor do ano nos prestigiados Freddie Awards.
2006 – Para onde quer voar?
São anos de clara expansão. A frota tem agora 40 aviões e atingem-se as 47 frequências semanais diretas para o Brasil. Até ao final da década, serão lançadas novas rotas como Belo Horizonte, Casablanca, Moscovo, Varsóvia, Valência, Helsínquia, entre outras. Em 2008, passa a ser possível voar diretamente da Madeira para Madrid.
2007 – Visitar antes de aterrar
Em 2007, nasce uma nova companhia de excelência para todos os voos da TAP: a revista UP! Com paixão pelo que é nacional, as suas reportagens focam o que de melhor se faz em Portugal e levam-nos a viajar por lugares inesquecíveis antes de aterrar.
2008 – Mais próximos dos passageiros
A TAP acompanha as tendências. É disponibilizado um novo balcão de tele check-in e leitura a bordo. O check-in online é alargado a voos à partida do Brasil, Bissau, Joanesburgo, Maputo e São Tomé. A emissão de bilhetes passa a ser 100% em formato eletrónico. Em 2009, será lançado o portal TAP Mobile com informações úteis sobre o voo para telemóvel.
2009 – O ambiente primeiro
São integrados seis novos Airbus A320-214, modelo que permite um acréscimo médio de 8% em eficiência energética e ambiental. Somos a primeira companhia aérea do mundo a aderir ao Programa de Compensação de Emissões de CO2, o que vale à TAP o prémio "Planeta Terra" da UNESCO.
2009 – Novos serviços exclusivos
É lançado o Premium Boarding, um serviço exclusivo de embarque para passageiros tap|executive e portadores de Cartão Victoria Gold, TAP Corporate ou STAR Gold. Disponibilizamos ainda um novo produto em ambiente de aeroporto, o TAP Assistência Personalizada, para clientes que valorizam um acompanhamento dedicado.
Voar alto na era digital
Na década de 2010, as palavras de ordem são transformação e inovação. Nos céus, no digital e no serviço ao cliente, a TAP recebe vários prémios.
2011 – De braços abertos ao mundo
Na primeira metade da década, a TAP lança dezenas de rotas na Europa, nas Américas e em África. A assinatura da marca é agora “De braços abertos”.
2015 – 70 anos de vida
2015 é um ano em cheio e as comemorações dos 70 anos da TAP traduzem-se em múltiplas iniciativas, entre as quais se destacam uma edição do Telejornal da RTP transmitida direto do hangar e uma exposição no MUDE – Museu do Design e da Moda. No mesmo ano, a TAP é privatizada, torna-se pioneira na tecnologia sharklet e assina um acordo com a Airbus para ser a primeira a voar com os novos A330neo.
2016 – Maior eficiência, mais opções
Nasce a TAP Express, nova marca da TAP que substitui a PGA – Portugália. Ainda este ano, descola a Ponte Aérea entre o Porto e Lisboa e é lançado um novo conceito de tarifas, com mais opções para os passageiros.
2017 – Viajar até ao passado
Realizam-se os primeiros voos “retro” da história da TAP. Transportámos os nossos passageiros até à icónica década de 1970, numa experiência completa: desde a pintura dos aviões aos uniformes da tripulação, a ementa e o entretenimento a bordo. O rebranding da marca chega em agosto: a companhia volta a chamar-se “TAP Air Portugal”.
2018 - O ano do A330neo
A TAP foi a primeira companhia aérea do mundo a receber o novo Airbus A330neo. O “D. João II, O Príncipe Perfeito” fez o seu primeiro voo comercial no dia 15 de dezembro, entre Lisboa e São Paulo. No final de 2018, a TAP já tinha três A330neo na sua frota.
Compromisso com o Futuro
Uma pandemia e uma crise na aviação mundial marcaram o início da década de 2020. O nosso compromisso é, agora e sempre, com o futuro.
2020 – O mundo mudou
Atingiu o mundo inteiro de surpresa, tirou-nos do nosso caminho e deixou aviões parqueados em todos os aeroportos do mundo. A pandemia de COVID-19 afetou em especial o setor da aviação. Com a operação regular praticamente parada, a TAP nunca deixou de garantir a continuidade territorial de Portugal, operou voos de regresso das comunidades deslocadas a Portugal e transportou muitas toneladas de carga médica a humanitária. A estrutura acionista do Grupo volta a alterar-se, na sequência da concessão de apoios à empresa por parte do Estado Português.
2021 – 76 anos e os olhos no Futuro
Comemoramos o nosso 76.º aniversário. Entre as várias iniciativas que marcaram a data, a celebração aconteceu a bordo do nosso Retrojet, o Airbus A321neo CS-TJR, numa viagem no tempo que revisitou seis das fardas mais icónicas da TAP, desde 1946 à atualidade, envergadas por cada um dos tripulantes de cabina. Em outubro, a TAP subscreve a resolução da IATA em atingir zero emissões líquidas de carbono até 2050.
2022 – Retoma em segurança
TAP é classificada como a companhia mais segura da Europa e a 5.ª a nível mundial, com destaque para a frota, o histórico de segurança e os protocolos COVID da companhia. Em fevereiro, é lançada a Ponte Aérea entre o Funchal e Lisboa, que oferece mais ligações entre as duas cidades e maior flexibilidade na alteração de reservas.