Cronologia

Bem-vindo a bordo...
Ao longo de mais de 70 anos, a TAP tem sido pioneira a ligar Portugal ao mundo e os continentes entre si. Nascemos num país de exploradores; crescemos, mudámos, acompanhámos as inovações da aviação, estivemos presentes em grandes momentos da história. Embarque connosco nesta viagem ao passado!
Um país pronto a levantar voo
A TAP nasce em 1945. Estamos no fim da II Guerra Mundial, que impulsionou o desenvolvimento da aviação. A seguir, chegam o baby-boom, o entretenimento e o consumo de massas. A Portugal falta ainda uma ligação ao mundo.
1945 – Nasce uma companhia aérea
A 14 de março de 1945, é criada a TAP - ou melhor, a Secção de Transportes Aéreos, sob a alçada do Secretariado da Aeronáutica Civil. O diretor à data, Humberto Delgado, é o mentor da fundação. Neste ano, chegam os primeiros aviões: dois Dakota DC-3, aparelhos militares adaptados à aviação civil.
1945 – O primeiro logótipo
É com esta imagem que a TAP levanta voo no mundo da aviação.
1946 – Primeira paragem: Madrid
A inauguração da primeira linha comercial, entre Lisboa e a capital espanhola, foi um acontecimento nacional. A 19 de setembro de 1946, os Dakota DC-3, com capacidade para 21 passageiros, entram ao serviço. A bordo seguiam 11 passageiros além da tripulação.
1946 – A "Linha Aérea Imperial"
A 31 de dezembro é inaugurada a "Linha Aérea Imperial", que serve a rota Lisboa-Luanda-Lourenço Marques. Com 24,540 quilómetros e 15 dias de duração (ida e volta), faz 12 escalas entre Lisboa e Lourenço Marques e torna-se a rota mais extensa do mundo a ser operada com o Dakota DC-3. As condições climatéricas exigem uma indumentária especial: o uniforme tropical, com saias, calções e camisas em sarja caqui.
1947 – O segundo logótipo
Em 1947, é adotada uma nova imagem.
1947 – A primeira ligação doméstica
É lançada a linha entre Lisboa e Porto. Da tripulação fazem parte o Comandante Durval e o co-piloto Noronha; entre o pessoal de cabine, Sá Pinto e Marcela.
1948 – O crescimento traz mudanças
São inauguradas novas rotas para Sevilha e Paris. Com a entrada na IATA (International Air Transport Association) e a diversificação de rotas, é adotada uma nova imagem e são lançados cartazes publicitários com motivos alusivos aos destinos operados.
1949 – Londres à vista
A fechar a década, a TAP passa a voar também para a capital do Reino Unido. O voo é operado pelo DC-4 Skymaster.
Primeiros recordes e conquistas além-mar
A TAP cresce e acompanha marcos históricos do país, como a inauguração da RTP ou do Metropolitano de Lisboa. Mas vamos muito além de Portugal e da Europa: lançamos rotas em África e aventuramo-nos pela primeira vez até ao outro lado do Atlântico!
1952 – A era do jato
A British Overseas Airways Corporation (BOAC) abre o primeiro serviço regular de aviões a jato, voando cerca de 11 mil quilómetros entre Londres e Joanesburgo em menos de 24 horas - encurtando a viagem, até aqui realizada por aviões a hélice, para metade do tempo. Ainda neste ano, inicia-se a produção do Boeing 707.
1953 – O terceiro logótipo
É adotada uma nova imagem. Este logótipo irá representar a TAP até 1979.
1953 – Aterrar em Marrocos
Acontece neste ano o primeiro processo de "privatização" da TAP, que passa de um serviço público a uma sociedade anónima de responsabilidade limitada (SARL). São também inaugurados dois novos destinos de peso: Casablanca e Tânger.
1955 – A chegada do Lockheed
É adquirido o 1.º quadrimotor de longo curso para operar a linha de África: o Lockheed L-1049G Super Constellation. Aeronave impulsionada por quatro motores fixos nas asas, o Lockheed permitiu reduzir substancialmente o tempo de voo de Lisboa até Lourenço Marques.
1955 – A travessia do Atlântico
Realiza-se neste ano o primeiro voo experimental da TAP ao Rio de Janeiro. A bordo do DC-4 Skymaster da viagem ao Brasil, encontra-se um passageiro ilustre: o almirante Gago Coutinho.
1958 – Números redondos
Fechamos a década com altas conquistas: transportámos 64 mil passageiros, completámos 10 mil horas de voo, atingimos os 14 mil quilómetros de rede e ultrapassámos os mil trabalhadores.
Acelerar na era do jato
Entramos nos anos do boom da aviação comercial e da velocidade supersónica. EUA e URSS partem à conquista do espaço. A TAP também cresce com novos destinos, aviões e um aumento exponencial de passageiros.
1961 – Dois países irmãos
Inaugura-se o "Voo da Amizade" entre Lisboa e o Rio de Janeiro, um serviço especial entre Portugal e Brasil, com escala no Sal e em Recife, através de um acordo operacional entre a TAP e as brasileiras Panair (1960-1965) e Varig (1965-67).
1961 – Rumo ao Oriente
Realiza-se o voo inaugural da ligação entre Lisboa e Goa, com uma duração total de 19 horas e cinco escalas intermédias. Um ano antes, despedimo-nos do DC-4 Skymaster: a TAP retirou do serviço a última destas quatro aeronaves.
1962 – O Caravelle VI-R
Em julho de 1962, chega o primeiro dos aviões Caravelle VI-R, com o qual entramos definitivamente na era do jato. Neste mesmo ano, iniciam-se as ligações de Lisboa a Las Palmas e Santa Maria.
1963 – Mais Europa
A TAP consolida a sua presença no Velho Continente com o lançamento de mais rotas: Genebra, Munique e Frankfurt.
1964 – O primeiro milhão
Celebramos em 1964 um marco simbólico: o 1.º milhão de passageiros transportados. É lançada a operação Lisboa-Bissau. Ainda este ano, depois de já voar há três para o Porto Santo, a TAP inaugura a rota do Funchal - o primeiro voo é recebido em ambiente de festa!
1965 – Olá, Boeing
É neste ano que chega à TAP o primeiro modelo da família Boeing: o B707. Começa imediatamente a voar na linha de África. Dois anos depois, será a vez do Boeing 727, com a sua inconfundível "cauda em T", a levantar voo ao serviço da TAP.
Revolução em terra e no ar
Uma década de grandes mudanças. Portugal vive a revolução de 25 de abril de 1974 e a descolonização. A TAP muda de instalações, é nacionalizada e entra num acelerado processo de modernização tecnológica.
1971 – Nova casa, novas rotas
A década começa recheada de novidades. Boston é integrada na linha de Nova Iorque. São lançadas as rotas de Montréal, Ponta Delgada e Terceira. O aviões a jato operam a linha de Lourenço Marques. E, em 1971, a TAP muda as instalações para o Aeroporto de Lisboa!
1972 – Voar mais alto
Entramos numa nova era: em 1972, chega o primeiro dos Boeing 747-200, o mítico avião de grande porte conhecido como "Jumbo". Até ao final da década, a TAP passa a operar com 32 aviões tecnologicamente avançados para mais de 40 destinos em quatro continentes.
1974 – Novo sistema de reservas
Em 1974, mais um passo na transformação tecnológica. Passamos a usar um novo sistema computorizado de reservas, de load-control e check-in: o TAPMATIC. A partir daqui, nada foi como dantes.
1974 – A aposta na manutenção
A década foi também de inovação ao nível da manutenção: fomos a primeira companhia europeia a efetuar grandes revisões completas dos reatores Pratt & Whitney JT9-D dos Boeing 747.
1974 – A nacionalização
1974 termina com novos recordes: mais de 1.5 milhões de passageiros, 68.210 horas voadas, quase 103 mil quilómetros de rede e mais de 9 mil trabalhadores. No ano seguinte, a TAP volta a ser uma empresa pública, seguindo a onda de nacionalizações originada pela Revolução dos Cravos.
1979 – Um 'makeover' completo
É implementado um programa de modernização da empresa. Entre outras coisas, muda o nome da companhia: "Transportes Aéreos Portugueses" dá lugar a "TAP Air Portugal", mais reconhecível a nível internacional. A nova imagem corporativa reflete-se também nos uniformes e na pintura dos aviões.
Uma década de altos e baixos
A TAP aperta o cinto e entra na zona de turbulência que caracterizou os anos 80: as sequelas dos choques petrolíferos, os avanços tecnológicos, a entrada de Portugal na CEE, a queda do muro de Berlim.
1980 – Novos rumos
A década abre com uma nova rota: é lançada a linha Lisboa-Barcelona. Também nesse ano, é prolongada a linha de Milão para Roma.
1981 – A primeira revista de bordo
Em 1981, surge uma nova companhia de bordo para as viagens da TAP. A Revista "Atlantis", antecessora da atual UP, irá estar no ar durante 16 anos.
1981 – A primeira mulher a pilotar
Teresa Carvalho, um nome para a história! Foi a primeira mulher a entrar no quadro de pilotos da TAP, em 1981. Nesta imagem, vemo-la pilotar um avião em 2001.
1983 – A frota cresce
Entram ao serviço os primeiros Boeing 737-200 para o médio curso e os Lockheed L-1011-500 Tristar para o longo curso.
1985 – Tempo para fazer história
Pela primeira vez, a TAP transporta mais de 2 milhões de passageiros em apenas um ano de operação. Entretanto, é inaugurada a nova rota de Porto-Caracas e o museu da TAP abre as portas ao público a 14 de março de 1985, dia do seu 40.º aniversário (na fotografia).
1988 – Tempo para evoluir
A terminar a década, é introduzido um novo sistema automático de cálculo de tarifas e emissão de bilhetes. A TAP torna-se ainda a primeira companhia aérea a estabelecer ligações terra-ar via satélite. E vemos chegar o Airbus à nossa frota: o A310 foi o primeiro a ser integrado.
Entramos na era do Airbus
O fim do século XX fica marcado por grandes inovações tecnológicas, a chegada dos telemóveis e da internet. Portugal torna-se palco do mundo com a EXPO'98. Começa a era do Airbus na TAP, que se associa a vários momentos marcantes.
1991 – Voar mais e melhor
Iniciam-se os voos do Porto para Barcelona e Basileia. No início da década, pela primeira vez a TAP ultrapassa os 3 milhões de passageiros num só ano. A bordo, há uma modernização constante com o objetivo de servir cada vez melhor.
1993 – A renovação da frota
Os anos 90 ainda são marcados pelos jatos Boeing, mas os Airbus começam já a impor o seu domínio. Operando desde 1988 com o A310, a TAP vê chegar o A320-200 em 1993. Nos anos seguintes, será a vez do A340 e do A319, consolidando uma frota de aviões mais económicos e versáteis.
1996 – Descolar na internet
A presença digital da TAP também tem a sua própria história, tendo já completado 20 anos. O nosso primeiro website, lançado no longínquo ano de 1996, foi pioneiro em Portugal. Desde então, temos estado na linha da frente da inovação digital.
1998 – Nobel a bordo
O escritor José Saramago, galardoado em 1998 com o prestigiado Prémio Nobel da Literatura, viaja a bordo da TAP. Desde 2014 que Saramago dá nome a um dos A320 da nossa frota.
1998 – EXPO'98
A TAP é parceira estratégica da EXPO'98, o evento que anima o país no final da década - e decora a preceito um dos aviões da sua frota (B737-300).
1999 – "Voos Azuis"
São introduzidos os chamados "Voos Azuis" (não-fumadores) em todas as linhas da Europa e Atlântico Norte.
Nas asas do século XXI
O virar do milénio traz novos desafios, como os atentados de 11 de setembro de 2001, a crise da aviação e a digitalização. Mas a TAP adapta-se uma vez mais e consolida-se como uma das maiores exportadoras de Portugal.
2000 – Manutenção e engenharia
A unidade de Manutenção e Engenharia da TAP, cujos padrões de qualidade são mundialmente reconhecidos, é certificada pela Autoridade de Aviação Civil Brasileira e pela Federal Aviation Administration norte-americana (FAA). Em 2006, a TAP assumiria o controlo da VEM (Varig Engenharia e Manutenção), maior centro de manutenção da América do Sul.
2004 – Euro 2004
No ano em que Portugal organiza o Campeonato Europeu de Futebol, a TAP associa-se ao evento e homenageia uma das maiores figuras de sempre do desporto: um A319 é batizado com o nome "Eusébio".
2005 – Uma imagem mais moderna
Atingido o número recorde de 6.5 milhões de passageiros, é altura de refrescar a imagem. A "TAP Air Portugal" é agora "TAP Portugal" e o novo logótipo traduz modernidade e portugalidade para o novo século. Ainda neste ano, integramos a prestigiada rede da Star Alliance.
2005 – Programa Victoria
Nasce o novo programa de passageiro frequente, o Programa Victoria, que oferece vantagens únicas pelas milhas acumuladas. Logo após o primeiro ano de vida, o Victoria é considerado o melhor do ano nos prestigiados Freddie Awards.
2006 – Para onde quer voar?
São anos de clara expansão. A frota tem agora 40 aviões e atingem-se as 47 frequências semanais diretas para o Brasil. Até ao final da década, serão lançadas novas rotas como Belo Horizonte, Casablanca, Moscovo, Varsóvia, Valência, Helsínquia, entre outras. Em 2008, passa a ser possível voar diretamente da Madeira para Madrid.
2007 – Visitar antes de aterrar
Em 2007, nasce uma nova companhia de excelência para todos os voos da TAP: a revista UP! Com paixão pelo que é nacional, as suas reportagens focam o que de melhor se faz em Portugal e levam-nos a viajar por lugares inesquecíveis antes de aterrar.
2008 – Mais próximos dos passageiros
A TAP acompanha as tendências. É disponibilizado um novo balcão de tele check-in e leitura a bordo. O check-in online é alargado a voos à partida do Brasil, Bissau, Joanesburgo, Maputo e São Tomé. A emissão de bilhetes passa a ser 100% em formato eletrónico. Em 2009, será lançado o portal TAP Mobile com informações úteis sobre o voo para telemóvel.
2009 – O ambiente primeiro
São integrados seis novos Airbus A320-214, modelo que permite um acréscimo médio de 8% em eficiência energética e ambiental. Somos a primeira companhia aérea do mundo a aderir ao Programa de Compensação de Emissões de CO2, o que vale à TAP o prémio "Planeta Terra" da UNESCO.
2009 – Novos serviços exclusivos
É lançado o Premium Boarding, um serviço exclusivo de embarque para passageiros tap|executive e portadores de Cartão Victoria Gold, TAP Corporate ou STAR Gold. Disponibilizamos ainda um novo produto em ambiente de aeroporto, o TAP Assistência Personalizada, para clientes que valorizam um acompanhamento dedicado.
Voar alto na era digital
Na década de 2010, as palavras de ordem são transformação e inovação. Sem parar. Nos céus, no digital e no serviço ao cliente, a TAP recebe vários prémios. A história continua a ser escrita nos dias de hoje, com a certeza de termos pela frente muitos desafios e ainda mais conquistas.
2010 – Sempre presente
A TAP associa-se a momentos importantes da memória coletiva. Em maio de 2010, transporta o Papa Bento XVI no A320-200 "Columbano Bordalo Pinheiro", por ocasião da visita a Portugal. Em junho, é a vez da seleção portuguesa de futebol viajar connosco para o Mundial na África do Sul. Abrem ao público as novas instalações do Museu do Ar, fruto da parceria entre TAP, ANA e Força Aérea. Em 2014, levamos uma Mensagem de Apoio à seleção portuguesa no Mundial no Brasil, com o velejador Ricardo Diniz.
2010 – Em todas as frentes
A TAP é, em 2010, a primeira empresa portuguesa no setor do turismo a ter um canal no YouTube. A nossa presença nas redes sociais é reconhecida pela Socialbakers. Em 2013, o Contact Center passa a estar disponível via Skype. Em 2015, surge a assistente virtual Sofia no FlyTAP; a app para smartphone oferece um quiosque digital para ler a bordo; e há um novo sistema de notificação automática de irregularidades de bagagem.
2011 – De braços abertos ao mundo
Na primeira metade da década, a TAP lança dezenas de rotas na Europa (Düsseldorf, Bordéus, Viena, Manchester, Dubrovnik, Turim, Berlim, Bucareste, Belgrado, Nantes, Oviedo, São Petersburgo, Gotemburgo, Hanôver, Talin, Pico), na América (Miami, Campinas, Porto Alegre, Manaus, Belém, Bogotá e Panamá) e em África (Argel, Marraquexe, Bamako, Tânger, São Vicente, Acra, Boa Vista). A assinatura da marca é agora "De braços abertos".
2015 – 70 anos de vida
2015 é um ano em cheio e as comemorações dos 70 anos da TAP traduzem-se em múltiplas iniciativas. Uma edição do Telejornal da RTP transmitida em direto do hangar. Uma exposição no MUDE - Museu do Design e da Moda. O concurso TAP Creative Launch, hub de ideias para o futuro da aviação. Também o Programa Victoria está de parabéns: celebra 10 anos com 2 milhões de clientes fidelizados!
2015 – Privatização e modernização
É aprovada a privatização da TAP em Conselho de Ministros. A TAP é a companhia europeia pioneira na tecnologia sharklet e assina um acordo com a Airbus para ser a primeira a voar com os novos A330neo.
2016 – Descobrir Portugal a meio caminho
É lançado o Portugal Stopover, programa destinado aos que viajam em longo curso e que permite parar durante vários dias em Portugal antes de seguir viagem. Logo no primeiro ano, o programa trouxe 70 mil novos turistas ao país e foi eleito o melhor programa de stopover no mundo pela Condé Nast Traveller Americana!
2016 – Parcerias estratégicas
É celebrado o primeiro dos acordos bilaterais com outras companhias aéreas. À brasileira Azul Linhas Aéreas (2015) seguir-se-iam a norte-americana JetBlue (2016) e a chinesa Beijing Capital (2017). Os nossos passageiros passam a ter mais vantagens ao viajar em code-share para os continentes americano e asiático.
2016 – Maior eficiência, mais opções
Nasce a TAP Express, nova marca da TAP que substitui a PGA - Portugália. A frota, composta por modelos Embraer 190 e ATR72-600, permite aumentar o nível de conforto e eficiência. Ainda neste ano, descola a Ponte Aérea entre o Porto e Lisboa e é lançado um novo conceito de tarifas, com mais opções para os passageiros.
2017 – Viajar até ao passado
Realizam-se os primeiros voos "retro" da história da TAP. Transportámos os nossos passageiros até à icónica década de 1970, numa experiência completa: desde a pintura dos aviões - igual à do B747 "Jumbo" de 1972 - aos uniformes da tripulação, a ementa, a música e até filmes como "Annie Hall" e "Star Wars". Foi bom matar saudades!
2017 – Um ano em cheio!
Em 2017, lançámos 14 novas rotas, ultrapassámos os 14 milhões de passageiros transportados (um recorde em 72 anos de história) e recebemos dezenas de prémios. O rebranding da marca chega em agosto: a companhia volta a chamar-se "TAP Air Portugal".
2018 – Na rota do crescimento
Mais aviões, mais rotas, mais pessoas. 2018 terminou com oito novos aviões NEO na frota – os primeiros de dezenas – e com oito novas rotas anunciadas para 2019. Terminou também com mais de mil novos colaboradores a integrar a empresa num só ano.
2018 - O ano do A330neo
A TAP foi a primeira companhia aérea do mundo a receber o novo Airbus A330neo. O “D. João II, O Príncipe Perfeito” fez o seu primeiro voo comercial no dia 15 de dezembro, entre Lisboa e São Paulo. No final de 2018, a TAP já tinha três A330neo na sua frota.